Rua Catequese 1171, 5° andar | Bairro Jardim - Santo André
  +55 11 2669.4700
+55 11 2669.2311
FaceBook E-mail
 
 
LESÃO MUSCULAR

A lesão muscular é muito comum na pratica desportiva. Basicamente é aquela fisgada ou embolada no meio do músculo sentida num momento de arranque ou freiagem durante uma partida de futebol, ou na aterrisagem de um salto num jogo de volei ou basquete, entre outras situações possíveis.
Outro fator muito comum na queixa dos pacientes é que essa sensação normalmente ocorre quando ele já está um pouco cansado (do meio pro final do jogo), ou quando tem realizado muitas atividades fisicas seguidas, não dando repouso adequado para seu músculo, ou mesmo num dia muito quente, em que há perdas de líquidos e eletrolitos excessivas. 

Um fato que também é comumente observado nos atletas não profissionais: a falta de um programa de reforco/condicionamento muscular para dar suporte ao esporte escolhido.

A identificação da lesão depende da queixa clínica do paciente, somado a um exame fisico minucioso (observação, palpação, testes de força e alongamento), e um exame de imagem adequado.

Na CORD dispomos de um aparelho de ultrassom para esta análise inicial e rápida, não perdendo tempo para iniciar o tratamento. Em alguns casos, imagens de ressonância magnética podem ser necessárias para uma melhor classificação de lesão e em casos de pacientes com musculatura bem desenvolvida e/ou se a lesão for profunda.
 

Com isso, classificamos a lesão muscular em:
Tipo I (estiramento) - afeta poucas fibras (< 5%); causada por alongamento excessivo das fibras musculares. 

- Tipo II (ruptura parcial) - entre 5 e 50% do músculo afetado; causada, na maioria das vezes, por uma contração máxima (por falta de coordenação entre agonistas e antagonistas). 

- Tipo III (ruptura total) - ruptura completa das fibras musculares
Há ainda as contraturas musculares causadas por um esforço excessivo em um músculo já cansado.
 

O tratamento depende muito do tipo da lesão. O inicio da fisioterapia deve ser imediato à lesão para dar condições adequadas para promover um boa cicatrização e evitar a formação de uma fibrose muito excessiva (www.fisioterapia.pro). 
Um recurso novo, já com bastante publicação cientifica, porém ainda contestado em relação a sua eficácia no tratamento das lesoes musculares é o PRP.
Apos tratado, o paciente deve ser orientado adequadamente para evitar situações que possam causar novas lesões, e ralizar um programa correto de fortalecimento muscular que o prepare para o esporte que deseja praticar.

 
 
Sua avaliação é importante (Nota: Sem avaliação):